quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Numeros naturais

Números naturais Sugestão de atividade. Introdução de conceito e representação de números naturais. Objetivo: • Realizar contagem de 0 à 09; • Reconhecer o número zero como a ausência de elementos em um grupo; • Identificar grafia e sequencia; • Ordenar os números os números naturais em sequencia de 0 a 9; • Associar uma quantidade de elementos à sua representação numérica.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Cartões de natal para imprimir e colorir

Quem vai cuidar dele?: Mãe conta em livro as dificuldades e conquistas do filho autista

Autismo Mãe conta em livro as dificuldades e conquistas do filho autista de 32 anos e revela angústia ao pensar em quem cuidará dele no futuro: ‘Tenho que viver muito’ RESUMO A empresária Dalva Tabachi, 65, tem quatro filhos. O mais velho, Ricardo, 32, tem autismo e só começou a falar aos cinco anos. Hoje ele trabalha com a mãe na confecção da família, no Rio, toca violão e vai ao cinema com uma amiga. Tudo, segundo Dalva, com muito esforço. Em 2006, com base em anotações do dia a dia do filho, ela lançou o livro “Mãe, me ensina a conversar” (Rocco, 96 págs., R$ 20). Agora lança o segundo livro, “Mãe, eu tenho direito!”. (…) Depoimento a JULIANA VINES DE SÃO PAULO Percebemos que o Ricardo tinha algum problema com três anos. Ele não falava nada, só repetia “bola, bola, bola”. Ficava isolado, não brincava com outras crianças. Fomos ao pediatra, à psicóloga, à fonoaudióloga. Naquela época, ninguém sabia o que era autismo. Quando eu perguntava o que meu filho tinha, diziam: “Ah, esquece isso”. Falavam que ele ia ficar bom. Mas até o Ricardo ter 12 anos foi horrível. Ele era bem comprometido. Ficava fazendo “hummm” continuamente. Quando ficava nervoso, pulava e se mordia. A gente sofria preconceito. Quando ele tinha dez anos, em uma viagem de avião, um passageiro pediu que o tirassem do voo, porque ele não ficava quieto, gritava. Com 18 anos, fomos a uma neurologista e perguntei: “Afinal, o que ele tem?”. Autismo. Nessa época ele já estava bem melhor. Tudo com muito esforço, muito choro. Corri atrás de tudo. O que ele podia fazer, fez: aula particular, fonoaudióloga, psicóloga, violão, natação. Não desistimos. Ele tem três irmãos mais novos que sempre o puxavam para a realidade, não deixavam que ele se isolasse. Quem vê o Ricardo hoje não acredita. Ele fala muito. Claro que ainda tem traços de autismo, o pior deles é a repetição. Ele repete a mesma coisa dez, 20 vezes. Conta tudo o que comeu, diz tudo o que fez hoje e no dia anterior, avisa dez vezes quando vai dormir. Às vezes, fica remoendo coisas de anos atrás: “Por que fulano puxou a minha orelha um dia?”. Ele não se acerta com números –não entende que duas notas de 20 e quatro de dez são a mesma coisa– e não entende muito bem o que é quente ou frio: usa blusas no calor, liga o ar-condicionado no frio. Comportamento de uma criança autista estampa obra de escritora americana 19 filmes que trazem o Autismo e o Asperger: preparados para assistir? Mitos e fatos sobre crianças autistas ANDAR SOZINHO Ele nunca fica sozinho. Não tem como. Tenho uma empregada que mora em casa. Ele espera meu marido e eu até para escovar os dentes, porque tinha mania de escovar tanto que já estava se machucando. Quando demoramos para chegar em casa, ele liga: “Onde vocês estão? Preciso passar fio dental.” A minha maior preocupação é quem vai cuidar do Ricardo no futuro. Já faz muito tempo que penso nisso. Fiquei muito angustiada quando um dos meus filhos se casou. Os irmãos dizem que vão cuidar dele, mas sempre penso que tenho que viver muito. E, para isso, me cuido. Eu nado no time master do Flamengo, não sou gorda e não como gordura. Tenho que ficar boa, não posso ficar doente. Sempre que vejo um casal sozinho com um filho autista penso: quem vai cuidar dessa criança no futuro? O Ricardo melhora a cada dia. Ele toca violão direitinho, participa de competições de natação, vai ao cinema todos os sábados e adora ouvir música aos domingos. Tudo o que ele sabe foi ensinado. A fonoaudióloga explicava o que era o teto, o chão, o nome das coisas. Ele tem uma memória incrível. Se você disser que hoje é seu aniversário, ele vai lembrar daqui a meses e vai dizer: no ano que vem vai ser numa quinta-feira, porque neste ano foi na quarta. Antes ele não entrava nas conversas, hoje já puxa papo. Sempre falando uma besteira, o que ele comeu no almoço. Eu o repreendo, digo que não é assim que conversa, e ele pede: “Mãe, me ensina a conversar”. Esse foi o título do meu primeiro livro. O segundo livro se chama “Mãe, eu tenho direito!”, porque mais recentemente ele aprendeu a dizer não, a reclamar. Eu digo para ele não comer alguma coisa e ele repete: “Eu tenho direito!”. O que mais dá trabalho hoje é comida. Ele é compulsivo. Na adolescência, engordou. Colocamos ele de dieta e ele emagreceu 18 quilos. Hoje, o Ricardo trabalha no escritório comigo, atendendo o telefone. No começo, quando ligavam perguntando por mim, ele respondia: “Ela está fazendo xixi.” Ele é supersincero. E não tem muito tato. Quando o avô morreu, saiu gritando “o vovozinho morreu”, como se anunciasse um nascimento. Depois de adolescente, nunca vi o Ricardo chorar. Isso me preocupa às vezes, mas depois penso que ele não tem por que ficar triste, tem tudo o que precisa. Todos gostam dele, ele é muito carismático. Às vezes fico cansada, principalmente quando ele repete coisas demais. Mas desanimar, não. Se ele chegou onde chegou foi porque não desistimos. MÃE, EU TENHO DIREITO! CONVIVENDO COM O AUTISTA ADULTO AUTORA Dalva Tabachi EDITORA Rocco PREÇO R$ 24,50 (144 págs.) Fonte: Folha de S. Paulo

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

10 Apps que ajudam no aprendizado das crianças

Aplicativos interativos fazem com que o aprendizado de letras e números seja divertido. As crianças são fascinadas por smartphones e tablets, então porque não engajar esta curiosidade toda à alguns apps que alimentarão e incentivam a mente destas crianças também. Todos os dias novos apps são lançados pensados nas necessidades destas crianças e assim, desenvolvidos para ajudá-las a aprender a ler, escrever, e fazer contas, além de outras qualidades que elas devem desenvolver ao começar sua vida escolar. Quer você tenha um aparelho Apple iOS, Android ou Windows, você terá acesso à ótimos apps educativos para escolher. Veja uma seleção de alguns deles abaixo: 1. Write My Name (iOS iPad) O Write My Name da Injini motiva as crianças à escrever. A criança pode escrever com os dedos ou caneta stylus praticando o próprio nome, letras individuais, ou até mais de 100 palavras. O programa guia a criança a escrever cada linha na direção correta, e você pode até adicionar suas próprias imagens e nomes que possuam algum significado para o seu filho, como nomes de parentes, irmãos e animais domésticos. Não há uma versão grátis, o app é pago, e pode ser encontrado na App Store. 2. Park Math (iOS iPad, iPhone) O Park Math (iPhone) e o Park Math HD (iPad) da Duck Duck Moose são apps premiados desenvolvidos para ajudar a ensinar crianças a contar, selecionar, adicionar e subtrair, através do aparelho com animais coloridos — patos, coelhos e outras criaturas – em um ambiente de playground e parque. Atividades incluem equilibrar um ratinho na gangorra para aprender sobre números e proporções, e colocar patinhos subindo escadas com amigos para aprender a somar. 3. Toca Kitchen (iOS iPad, iPhone) O Toca Kitchen da Toca Boca ajuda as crianças a entender sobre alimentos e cozinha em um ambiente de brincadeiras livres. Com o app, a criança mistura e prepara alimentos e receitas para ver a reação ao ser experimentadas por humanos ou personagens de animais. O app também foi premiado, e inclui um modo opcional vegetariano. O app é pago, mas há uma versão disponível grátis chamada Toca Kitchen Monsters. 4. Doodlecast for Kids (iOS iPad, iPhone) O Doodlecast for Kids, é um app pago desenvolvido pela Zinc Roe, que é mais que um app para desenhar. O app permite que a criança grave a sua voz ao desenhar, assim ela pode compartilhar a sua estória com amigos e familiares depois, com uma gravação de vídeo do processo criativo inteiro. Os videos podem ter até 03 minutos de duração. O app também foi premiado e vem com 20 desenhos prontos, feitos para explorar a contagem, letras e sentimentos para impulsionar a criatividade caso a criança não saiba o que desenhar. 5. iStory Books (Android, iOS iPad e iPhone) O iStory Books, da iMarvel, apresenta livros que são lidos por si só, com audio e texto. Você pode ler os livros com o seu filho ou deixar que o app entretenha a criança. O app possui uma enorme variedade de livros que inclui estória de animais e livros educativos sobre números, letras, dinossauros e até monumentos nacionais. 6. Kids Numbers and Math (Android) O Kids Numbers and Math da Intellijoy ajudam as crianças aprenderem números até 20 e construir habilidades matemáticas na adição, subtração e comparação. Gravações de áudio amigáveis ajudam as crianças a praticarem, e os pais podem visitar o “Parent Center” para ver o progresso. O app está disponível em uma versão grátis para testar antes de fazer o download da versão paga. 7. AniWorld (Android) O AniWorld da Mtoddlearn é como ter um zoológico de animais domésticos no sue aparelho móvel. As crianças aprendem sobre 36 animais diferentes, incluindo o que eles comem, o que não podem comer, onde vivem e onde dormem. Com mais de 250 imagens, o seu filho irá aprender também como os animais crescem até virarem adultos. Há versões pagas e grátis disponíveis. 8. Kids ABC Letters (Android) O Kids ABC Letters da Intellijoy usa desenhos animados e gráficos adoráveis para ajudar a ensinar a crianças o ABC. Atividades incluem aprendizado de letras, nomes das letras, formação de letras, reconhecimento e identificação das letras nas palavras. A versão grátis pára na letra H, e você obtém o resto do alfabeto na versão paga se a criança gostar do app. 9. Smartsters (Windows) O Smartsters da Wimzoo é um app educativo mais generalizado, que serve à todas as propostas para ajudar a criança aprender soletrar, reconhecer padrões, contar e lógica. Perguntas aleatórias são apresentadas e lidas em voz alta, e a criança tem que selecionar a melhor resposta. Ao conseguir 25 respostas corretas, a criança ganha uma medalha de bronze com medalhas adicionais e troféu ao progredir nas lições. Há versão grátis disponível. 10. First Words: Learning Vehicles (Windows) O First Words é um de uma série de apps desenvolvidos pela Anlock LLC que ajuda a aprender letras, nomes e como formar palavras. O app inclui dicas de cores e letras que podem ser customizadas baseadas no progresso da criança. A Anlock possui o mesmo app disponível em diversas línguas, incluindo espanhol, francês e italiano, além de uma versão baseada em animais ao invés de veículos. Há uma versão para teste gratuita. Compartilhe este artigo! Fonte: Mania de Celular